Como Lidar com Alunos Desmotivados

22/08/2008 10:33

Esse é um problema realmente difícil de resolver e você não está sozinha diante do dilema. Colegas de todas as áreas e de todos os níveis de ensino se defrontam com ele. Antes de conhecer alguns procedimentos é importante compreender o que é motivação e como ela se constrói.

Alguns alunos não se envolvem em uma ou outra atividade. Outros fecham-se completamente ao saber, não querem participar e nada fazem para aprender. O psicólogo José Aloyseo Bzuneck, da Universidade Estadual de Londrina, afirma que esses casos extremos se desenvolvem a partir de situações aparentemente sem importância (um jovem desligado ou inquieto, por exemplo). "Por isso, o professor deve observar atentamente o aluno e fazer intervenções sempre que qualquer tipo de desinteresse aparecer", recomenda Bzuneck.

Principais causas

A falta de motivação é causada por características pessoais do aluno e contexto da escola. O medo do fracasso e a forma de encará-lo; a falta de clareza sobre os objetivos da aprendizagem; e a não satisfação das expectativas são alguns dos motivos de ordem pessoal.

Além deles, existem as influências de pais, colegas e grupos sociais, mais as experiências anteriores de cada um. Junte-se a isso o ambiente da escola e da sala de aula para o desenvolvimento das atividades, como a organização, a interação com o professor e a avaliação. É aí que o educador pode intervir.

Tipos de motivação

As motivações intrínsecas vêm do próprio aluno: a vontade de aprender e de buscar soluções para os problemas, a escolha e a realização de tarefas que sejam atraentes e desafiadoras para ele. O estudante pode também sentir uma necessidade pessoal de reconhecimento social ou de aprovação no grupo.
As extrínsecas vêm de fora: notas, aprovação no final do ano, estímulo familiar por médias elevadas. Esses elementos não podem ser um fim em si mesmos, mas se utilizados com critério e bom senso fazem surgir — ou ressurgir — a motivação intrínseca.

Dicas práticas

Independentemente da disciplina ou série, é possível manter alto o nível de motivação adotando as posturas a seguir.

·         Mostre-se entusiasmado com os conteúdos e as competências que está ensinando.

·         Desperte a curiosidade destacando a relação do conteúdo com fatos corriqueiros.

·         Oriente a aprendizagem para a compreensão dos fenômenos, não para a memorização.

·         Elabore atividades que mostrem como o aluno evolui.

·         Use um ritmo que permita que todos acompanhem o encadeamento de idéias.

·         Mude a estratégia ao perceber que os alunos não aprenderam.

·         Estabeleça metas realistas e explique detalhadamente os objetivos, combinando regras.

·         NÚCLEO
PEDAGÓGICODê pistas de como superar as dificuldades sem revelar de imediato a solução.

·         Evite avaliações negativas, comparativas e ameaçadoras da auto-estima da turma.

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br – Revista Nova Escola